A conexão e distribuição de rede são feitas por aparelhos que, por vezes, nós os confundimos. Switch, modem e roteador se complementam, mas têm funções diferentes, embora alguns aparelhos levem funções de dois ou três deles. Mas como saber o que cada um faz?

Te explicarei tudo, primeiramente, através da breve história dos computadores e de suas redes. Preparado? Vamos lá, para o túnel do tempo!

Hub e Switch, os pioneiros.

Os primeiros computadores de uso pessoal surgiram nos anos 1970. Bom, não vou me alongar muito na história dos computadores. Afinal, eu sei que você quer apenas aprender a diferença entre switch, modem e roteador.

Até a criação do hub e do switch, os computadores pessoais não se interligavam entre si. Internet, então, só para fins militares. Então imagine que a única maneira de inserir dados dentro do computador era através de disquete.

Primeiramente, o hub.

O hub, que é o antecessor do switch, tinha como função interconectar computadores dentro de uma rede. Ou seja: dentro de uma empresa, os computadores transmitiam dados entre si através do hub.

Melhor do que levar dados do disquete de um computador para o outro, já imaginou o trabalhão?

Outro meio de comunicação forte na época, mas que perdeu importância posteriormente com a criação da internet, foi o fax. Cópias de documentos e informações em folhas de papel em geral eram levadas por sinal de fax. Mesmo com grande distância entre remetente e destinatário. Os mecanismos eram semelhantes aos do telefone.

Vale lembrar que o hub conectava apenas computadores próximos, que faziam parte de uma mesma rede.

O hub, porém, tinha um grande defeito. Para a informação de um computador ser enviada para outro, todos os computadores da rede tinham acesso à informação.

Além das faltas de segurança e privacidade, levar carga para vários destinatários causava lentidão no sistema. Afinal de contas, o tráfego era muito grande. Seria menor se as informações fossem enviadas apenas para o destinatário desejado.

Você viveu essa época?

E aí, consegue contextualizar a época? Se tens mais de 35 anos, provavelmente viveu isso na prática e apenas está relembrando esse período da evolução tecnológica.

Se tens menos de 35 e experimentou internet na adolescência, muito do que está sendo descrito é novo para você. Não é verdade?

Bom, aproveitando as limitações do hub, um outro aparelho surgiu para tomar o seu lugar: o switch!

Switch veio para tomar lugar do hub.

Switch, modem e roteador

O switch é também chamado de comutador. Não confunda com computador! Lembre-se: depois da letra “m”, não há o “p”, ou seja, comUtador, e não comPUtador.

O switch corrigiu a principal falha do hub: a de repassar a informações para todos os computadores da rede. Isso faz o aparelho ser mais rápido, pois não tem o tráfego tão carregado. O fato de passar a informação diretamente e apenas para o destinatário também torna o processo mais seguro.

Em suma, pode-se dizer que o switch é uma evolução do hub, pela melhoria citada. Mesmo com o advento da internet, a função de interligar computadores em uma mesma rede continua sendo importante.

Se você gosta de jogos eletrônicos em rede, provavelmente já visitou uma lan house, não é verdade? Saiba que não é apenas de internet que se vive uma lan house, ou até mesmo um cyber café.

Nesses lugares, todas as máquinas estão sob comando da máquina principal. Ela administra o tempo em que cada usuário usa o computador, o que resultará no preço final. Ou seja, há uma interligação entre as máquinas. Interligar é função do switch.

Bom, com as mudanças de comportamento, também vêm as mudanças de tecnologia. As lan houses foram populares entre jovens de classe média que buscavam na rede desses lugares um lugar para jogar. Atualmente, as lan houses se difundiram nas classes “c”, “d” e “e”. Entre muitas pessoas que não tem acesso à internet em casa.

As lan houses perderam a força que tinham com o antigo público. Isso aconteceu porque dois aparelhos se difundiram bastante nas casas de classe média: o modem e o roteador. E é sobre eles que vamos falar agora!

A época em que o modem não precisava de um roteador.

Para falar de forma simples, o modem cria a conexão de internet e o roteador a expande. Ou seja, é possível ter um modem sem ter roteador, afinal, a internet pode ser acessada por cabo.

No entanto, um roteador não teria função sem o modem. O roteador faz internet chegar ao notebook, smartphone, tablet e computadores sem estar conectado pelo modem através de cabo.

Para usar exemplo prático: no final dos anos 1990 era preciso usar a linha telefônica para se conectar.

Lembra daquele barulhinho típico “pããããã, pã pã pã pã pã pã pã, pãã…”. Enfim, desisto de transformar em palavras um som que, a depender de sua idade, você sabe qual é.

Nessa época, não existia banda larga. Se alguém fizesse uma ligação telefônica para a linha que estava sendo ocupada pela internet, a internet caía.

Algumas vezes a internet tinha dificuldade em conectar e era cara por cobrar o pulso de ligação telefônica. Se tornava mais rápida, todavia, se você tivesse um provedor pago, como Uol ou Terra.

Pois bem, o modem dessa época, conhecido como modem para acesso discado, transformava o sinal digital em onda analógica. Posteriormente, esse sinal analógico era novamente convertido em digital e dessa maneira, se criava interlocução entre digital e analógico.

Os modens atuais

Os modens atuais, chamados de ADSL, fazem a interlocução sempre em digital. Ou seja, não tem a necessidade de converter de digital para analógico e de analógico para digital.

ADSL é sigla para Asymmetric Digital Subscriber Line, que traduzido para português seria algo como “Linha de Inscrição Digital Assimétrica”. Vou fazer uma comparação para esclarecer melhor para você: sabe o processador?

O processador não precisa traduzir o código binário em comandos e informações que chegam até nós? O modem, nesse sentido, traduz códigos para levar a internet até os computadores que estejam conectados a eles.

Agora é a vez do roteador!

Depois dessa breve história em que fomos do primeiro computador pessoal até surgimento da internet, é preciso falar do roteador.

A importância do roteador se dá pela mudança de comportamento nos dias de hoje. Nem todo mundo leva o computador para todos os lugares.

Descubra aqui os melhores Roteadores do Mercado >>

No entanto, certamente estará com um smartphone em que pode acessar redes sociais e e-mails, entre outras funcionalidades.

Nada disso seria possível sem o roteador, pois é ele quem expande a internet para aparelhos sem cabo ou fio. As máquinas precisam ter uma placa de rede para receberem o acesso das ondas do wi-fi.

O mesmo roteador pode ser capaz de gerar internet para muitos dispositivos móveis, ou seja, smartphones, tablets, notebooks e computadores.

A capacidade vai depender do modelo e do pacote contratado pela operadora. Muitas empresas de telecomunicações que vendem serviço wi-fi entregam aos clientes aparelho que faz funções de switch, modem e roteador.

Assim, se usam menos cabos e se gasta menos energia elétrica, pois um só aparelho faz a função de três.

Há também roteadores que podem ser encontrados em lojas de computador. Apenas com a função de roteador, podem aumentar o alcance de sua transmissão de rede wifi.

Podem ser usados para empresas que desejam aumentar alcance de sua rede, ou para quem mora em casa muito grande.

Gostou dessas informações? Saiba que há muito mais informações como essas sobre os diversos assuntos que envolvem tecnologia e computadores em nosso blog! Dê um pulo lá para ficar ainda mais antenado!

Gostou? Compartilhe ;)